• Circe Palma

O difícil momento de dizer: NÃO

Uma das mais difíceis tarefas na educação dos filhos parece ser a questão dos limites. Nós, adultos, temos muitas vezes a sensação de estarmos devendo alguma coisa às nossas crianças. Como se não nos fosse permitido dizer-lhes estes nãos em razão do alto custo que eles nos representam.

O fato de estarmos longe deles por muito tempo, nos leva a uma sensação desconfortável de que os estamos abandonando ou  mesmo deixando de lado, como se os pequenos não fossem importantes para cada um de seus pais. Naturalmente, sabemos que, de modo algum, isto é verdade. Pelo contrário, sentimos uma espécie de dor física ao nos separarmos deles, quando os deixamos na escolinha ou até mesmo na casa dos avós. Parece que uma forte sensação de culpa nos invade neste momento.



O difícil momento de dizer: NÃO

Içami Tiba, psiquiatra, escritor renomado sobre matérias relacionadas à educação dos filhos, nos fala da importância em disciplinar as crianças.  “Os pais, não sabendo ser pais, estão sendo dominados por crianças temperamentais, que fazem o que querem, e os pais não têm condições de impor limites e   disciplina porque temem perder o amor dos filhos. Isso não é pai que se preze, porque ele se torna refém do seu medo e o filho pequeno se acostuma a reinar, a  mandar nos pais.” 

 Deste modo, a criança se vê completamente só. Ela sente a insegurança dos pais e o medo que eles estão vivendo. Percebe a inconstância do afeto deles, embora  não seja verdade que os pais não lhe dediquem um afeto real.  Pelo fato de reinarem absolutos, sem limites, que não lhe são impostos por estes medos paternos, os filhos, na realidade se veem como  reais poderosos, fazendo dos pais verdadeiros reféns de seus desejos e vontades.

Muito se tem escrito sobre esta questão e a angústia que permanece em muitas famílias, parece ser fruto de uma sociedade agitada e confusa neste início de século. Intensa de atividades e compromissos.

Ensinar as crianças, mostrando-lhes o que é possível e o que é inviável fazer torna os  pais verdadeiros mestres na vida de suas crianças. A tarefa não é mais tão fácil, como foi outrora. Por uma série de razões, mas, sobretudo, por um mundo que não mais se configura como antes. Tanto pais como filhos precisam aprender. E, a todo momento há novas informações, novos contextos.


Os limites de que muitos falam na educação, que faltam nas escolas, que não acontece em casa, são referenciais que sinalizam estes caminhos difíceis e, às vezes, tão escuros.  Um passo importante, na busca desta luz, quando queremos contribuir significativamente na formação da personalidade de nossos filhos, é sem dúvida, saber construir com eles estes limites. A palavra Não deve ser consistente, especialmente nos primeiros  anos de vida, quando o bebê está balbuciando suas primeiras palavras, na tentativa de construir sua linguagem. Neste momento, ele está também construindo seu pensamento. A compreensão das idéias que o adulto lhe passa, através das expressões faciais, dos sons da fala, são muito facilmente absorvidas. É nesta hora que a criança constrói seus “muros internos”, capazes de dimensionar suas ações definindo-lhes os limites. Alicerce no seu desenvolvimento.

Este seria o início de uma educação sustentável, como nos refere Içami Tiba: “..basta dar aos pais condições de serem educadores que os filhos melhoram. O conceito de educação sustentável é muito simples: na educação, nada é mais sustentável do  que um aprendizado.”

Referências: Correio de Uberlândia

Contato

circe@circepalma.com

Tel: 55 51 995044421

  • Facebook

Parceiros:

as-passeadeiras-logo.png